Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Intimidades Reveladas


Sábado, 31.01.15

Sete coisas sobre o casamento que você precisa saber antes de ir para o altar, segundo a ciência

Embora cada vez menos pessoas estejam se casando hoje em dia, pesquisas sugerem que casar e manter a união é uma das melhores coisas que você pode fazer por si mesmo. Como o New York Times concluiu recentemente, “estar casado deixa as pessoas mais felizes e satisfeitas com suas vidas do que aquelas que permanecem solteiras” — principalmente durante os períodos mais estressantes da vida, como a chegada dos 30. Sim, é claro que toda mulher deseja ser tratada pelo parceiro como uma “rainha”. E uma rainha de verdade deixa o drama de lado pra pensar no que realmente está em jogo. Antes de subir no altar você vai querer conferir as dicas reunidas pelo Business Insider:

1) Se você esperar até os 23 para se casar, há menos chances de se divorciar.
Uma pesquisa de 2014 feita pela Universidade da Pensilvânia descobriu que cerca de 60% dos americanos que têm filhos ou se casam aos 18 acabam se divorciando, enquanto aqueles que esperam até os 23 para qualquer uma dessas situações têm apenas 30% de probabilidade de se divorciarem. A revista Atlantic sugere que isso ocorre porque quando nos casamos jovens não somos maduros suficientes para escolher o parceiro adequado.

 

2) Aquela fase de paixão intensa dura cerca de um ano.
A fase da lua de mel em que ambas as partes estão extremamente apaixonadas e vivendo sentimentos intensos de atração e êxtase não dura pra sempre. Segundo um estudo de 2005 da Universidade de Pavia, na Itália, essa fase dura somente cerca de um ano.

3) Você acaba percebendo que não é mais só você consigo mesmo.
Assim que você começa a morar junto com alguém você percebe que ambos têm prioridades e tolerâncias diferentes — o que, por um instante, pode causar um problemão ou simplesmente não causar. “As pessoas têm que entrar num acordo com a realidade de que ‘nós realmente somos pessoas diferentes’”, disse a terapeuta de casais americana Ellyn Bader. “Você é diferente de quem achei que você fosse ou queria que você fosse. Temos ideias diferentes, sentimentos diferentes e interesses diferentes”. É uma evolução estressante, porém necessária.

 

4) Se você fica contente quando seu parceiro vem com boas notícias, então terá um relacionamento melhor.
Em diversos estudos, casais que celebravam ativamente notícias boas (em vez de desconsiderá-las) registraram uma taxa maior de bem-estar no relacionamento. Por exemplo, se uma esposa chega em casa e divide com o marido uma boa notícia em relação ao trabalho, a melhor coisa que ele tem a fazer é dar uma resposta “construtiva-ativa”:

• Construtiva-ativa: “Que notícia boa! Eu sabia que você era capaz, ainda mais depois de tanto trabalho duro!”.

• Construtiva-passiva: um sorriso e apenas um “Que notícia boa”.

• Destrutiva-ativa: “Isso significa que você vai trabalhar mais do que já tem trabalhado? Tem certeza que vai agüentar isso?”

• Destrutiva-passiva: “Sério? Meu, você não sabe o que aconteceu comigo hoje no caminho de volta pra casa!”.

5) Os casamentos mais felizes são entre melhores amigos.
A Agência Nacional de Pesquisa Econômica dos EUA descobriu através de uma pesquisa feita em 2014 que o casamento realmente traz a sensação de bem-estar, principalmente àqueles que são amigos próximos. A amizade, segundo a pesquisa, é o principal mecanismo que ajuda a explicar a relação entre o casamento e a satisfação.

 

 

6) Quanto mais parecida é a idade do casal, menor é a probabilidade de se separar.
Um estudo da Emory University, nos EUA, feito com 3 mil pessoas – divorciadas e casadas – descobriu que a diferença de idade está ligada ao desgaste no casamento. A pesquisa revelou que um ano de diferença entre o casal torna os parceiros 3% mais propícios ao término (quando comparado a um casal da mesma idade); uma diferença de cinco anos entre o casal já faz a estimativa subir para 18%, e um casal com 10 anos de diferença tem 39% de chances de se divorciar.

7) O ressentimento só aumenta em casais que não dividem as tarefas de casa.
Mais de 60% dos americanos dizem que ajudar nas tarefas de casa é um dos pontos cruciais para um casamento durar. Em sua obra “Não é você, é a louça”, a escritora Paula Szuchman recomenda um sistema onde cada pessoa fica com as tarefas que sabe fazer melhor. Resumindo: se você é realmente melhor lavando louça do que passando roupa, então essa deveria ser a sua tarefa. Isso irá tomar menos seu tempo do que do seu parceiro, assim como o seu ele(a) vai gastar menos tempo passando roupa do que você gastaria. “O que no final significa que vocês economizaram bastante tempo”, diz Paula.

 

fonte:https://br.mulher.yahoo.com/b

Autoria e outros dados (tags, etc)

por adm às 20:03

Domingo, 30.11.14

A traição perfeita em 10 passos

Chega de amadorismo na hora de iniciar um relacionamento extraconjugal. Ter um caso pode ser uma aventura segura e inesquecível, basta saber como fazer.

Falta de confiança no parceiro e na relação, carência, rotina, perda de intimidade, desilusão e foco excessivo nos filhos são alguns dos motivos avançados por homens e mulheres na tentativa de justificar a traição. Estudos recentes, mostram que a prática da infidelidade pode estar relacionada com determinadas características da personalidade e até com uma predisposição genética.

Independentemente das razões, a verdade é que a traição pratica-se e coleciona adeptos. Ciente deste facto, e a pensar no bem-estar dos seus utilizadores, o maior site de relacionamentos extraconjugais do mundo AshleyMadison.com, elaborou uma lista de dicas úteis para quem pretende trair e não ser apanhado:

1. O momento certo: A pressa é inimiga da perfeição. Por mais vontade que tenha de rever o seu amante, perca tempo a eleger o timing perfeito. Evite ser apanhado, elegendo dias e horas em que o seu parceiro esteja ocupado.

2. O local adequado: Nunca, em tempo algum, leve o seu amante a sítios que costuma frequentar com o seu parceiro. Locais públicos, frequentados por pessoas conhecidas, estão automaticamente fora da lista.

3. O álibi perfeito: A melhor forma de se proteger é pensar antecipadamente na desculpa perfeita. Se “pensar” tudo ao ínfimo pormenor, vai manter a calma e a postura na eventualidade do inesperado acontecer.

4. Máxima cautela online: As redes sociais são um meio privilegiado de contacto com amigos, mas não é boa ideia falar com o seu amante por esta via, porque é fácil deixar rastos. Criar uma segunda conta de e-mail pode ser uma opção válida. Mas existe outra solução o AshleyMadison, que garante a máxima confidencialidade aos seus utilizadores.

5. Escolha a dedo: Evite iniciar um caso extraconjugal com amigos, vizinhos e sobretudo com colegas de trabalho. A maioria dos casos que começa neste ambiente raramente termina bem. Mantenha-se longe de situações e de pessoas que possam denunciá-lo à primeira oportunidade.

6. Livre-se dos vestígios: À semelhança das mensagens, o perfume e batom são os maiores inimigos da traição perfeita. Evite passar do amante para o parceiro sem fazer uma “autoinspeção” completa. Um bom banho pode ser a solução.

 7. Atenção ao cartão de crédito: Esta forma de pagamento tem sempre uma fatura associada. Usar o cartão de crédito para pagar despesas associadas ao tempo que passa com o seu amante é pouco inteligente.

8. Imponha limites: Estabeleça as regras desde o início. É a melhor forma de evitar mal-entendidos que podem ter consequências desastrosas para o seu relacionamento.

9. Procure no sítio certo: Não perca tempo à procura de pessoas solteiras que podem, a médio prazo, ser uma fonte de problemas: vão querer mais do que lhes pode dar.

10. Um pouco de bom senso: Confie no instinto na altura de iniciar uma relação extraconjugal. Para que tudo corra como esperado, é importante que as duas partes estejam cientes de que se trata apenas de um caso. Sexo seguro é obrigatório!

 

fonte,-http://flagra.pt/n

Autoria e outros dados (tags, etc)

por adm às 21:50

Sexta-feira, 28.11.14

Genes influenciam propensão à infidelidade, diz estudo

O desejo de trair pode ser hereditário, segundo indica um estudo de pesquisadores da Universidade de Queensland, na Austrália. Os pesquisadores concluíram que variações genéticas podem fazer com que tanto homens quanto mulheres tenham maior propensão a cometer adultério.

O estudo, publicado na revista científica "Evolution & Human Behaviour", analisou o comportamento de mais de 7 mil pares de gêmeos na Finlândia, com idades de 18 a 49 anos, todos em relacionamentos estáveis.

Os pesquisadores compararam as diferenças de comportamento entre casais de gêmeos: os idênticos, que compartilham todos os genes, e os fraternos, que apresentam diferenças. Cerca de 10% dos homens e 6,4% das mulheres tinham pulado a cerca no ano anterior.

Os resultados sugerem que 63% do comportamento infiel nos homens e 40% nas mulheres podem ser atribuídos à herança genética. No caso das mulheres, os cientistas detectaram que variações em um gene chamado AVPRIA estava associado ao comportamento infiel.

Este gene é associado à produção da arginina vasopressina, um hormônio envolvido na regulação do comportamento social e que mostrou ter influência em testes com roedores.

"Nossa pesquisa mostra que a genética influencia a possibilidade de pessoas fazerem sexo com parceiros fora de seu relacionamento", explica Brendan Zietsch, coordenador do estudo.

Origens da infidelidade
A infidelidade é um assunto que provoca mistério na comunidade científica, que tradicionalmente busca explicações na biologia evolucionária. Para homens, a poligamia seria explicada pela necessidade da preservação da espécie: mais sexo resultaria em mais filhos.

No caso das mulheres, porém, há divergências. Trair costuma ser visto como um tipo de "efeito colateral" provocado pelo comportamento masculino; ou então como resultado de uma ação mais instintiva: em tempos mais primitivos, ter filhos com vários parceiros reduziria a possibilidade de infanticídio.

Este debate fez com que os pesquisadores de Queensland examinassem também o comportamento de gêmeos de sexo diferentes. Pelo menos na amostra estudada, eles não identificaram nenhuma correlação significativa de promiscuidade de influência social.

fonte:http://g1.globo.com/

Autoria e outros dados (tags, etc)

por adm às 23:12

Sábado, 22.11.14

Dez mandamentos do namoro moderno

Hoje em dia nos “enroscamos” em vez de namorar, tocamos a tela do telefone ao invés de abordar estranhos num bar; ou, não raro, confundimos a linha entre amizade ou romance. Mas o amor não precisa ser um campo de batalha: desde que concordemos com algumas regrinhas básicas. Seja você homem ou mulher, gay ou hétero, se estiver em busca do amor, basta seguir os 10 mandamentos do namoro moderno, segundo o Elite Daily.

1. Não sustentarás falsos sentimentos
Vamos ser realistas aqui: você realmente gosta da pessoa ou está “cozinhando” ela para o caso de nada melhor aparecer? Se este for o caso, conecte-se com o seu Moisés interior e libere essas pessoas! Você pode até ferir os sentimentos dele no momento, mas estará lhe fazendo um favor no longo prazo. Pode apostar.


2. Honrarás a honestidade acima de tudo
Pare de bancar o cara durão ou a garota descolada: seja você mesma(o). Se a pessoa que está ao seu lado não consegue apreciar quem você realmente é, então ela é quem está perdendo. Quando alguém gosta de você pra valer ele(a) irá apreciar sua transparência em relação a todo o resto.

3. Não julgarás com base na superficialidade
Você só namora alguém acima de 1,80 m? Pare de pensar em qual filtro do Instagram você vai usar e comece a imaginar o dia a dia do seu relacionamento. Você ligaria para essa pessoa pra reclamar do seu chefe? Seus amigos conseguiriam sobreviver um final de semana inteiro com ele(a)? Considere esta a sua nova base de exigências.


4. Farás sexo sempre que estiver preparada(o)
Pagar o jantar não é um passaporte para o sexo, e você nem deve esperar que seja. Neste sentido, esperar até as estereotipadas três vezes não é garantia de um relacionamento saudável e de longo prazo. Vá fundo quando se sentir mais confortável: na era do Tinder, todo mundo pode transar se realmente quiserem, então basta ser verdadeiro a respeito do que você quer.

5. Não cobiçarás a Timeline alheia
Ah, a Timeline. O lugar onde todo mundo acha a tampa para a panela aos 22, se casa aos 26 e tem filhos aos 30. Infelizmente, vivemos na realidade. Que, alias, é bem melhor! Sim, porque a vida não é uma corrida com uma linha de chegada imaginária – portanto pare de comparar sua jornada com a de todo mundo. Ser adulto significa encontrar o que te faz feliz e ir atrás disso. Tudo o mais irá se encaixar a favor disso.

6. Não levarás tudo para o lado pessoal
É absolutamente impossível estar completamente apaixonado por alguém que não é certo pra você. Lembre-se que você não tem menos valor só porque um indivíduo não sente o mesmo impulso hormonal que você. Ele(a)s simplesmente não eram as pessoas certas pra você.

7. Não acreditarás naqueles que dizem não estarem interessados
Nem sempre eles dizem isso abertamente (ver o primeiro mandamento), mas se o indivíduo é carta fora do baralho, deixe-o saber disso. Se eles te ignoram, cancelam planos constantemente sem uma desculpa válida e geralmente não te dão valor, elas estão mandando uma mensagem clara. Ouça, preste atenção e ligue o modo freezer.


8. Não cometerás adultério (Observação: também é um mandamento antigo)
Não raro começamos a namorar alguém só até descobrirmos que aquela pessoa já está num relacionamento sério. É hora de todos crescermos finalmente e sermos honestos um com o outro. Se você está infeliz no seu atual relacionamento, termine antes de seguir em frente. Caso encerrado.

9. Lembrarás do seu próprio coração partido
Todos estivemos lá: as lágrimas, excesso de autopiedade descontados em junk food, a indignação justa ao contar a história aos amigos. Mas alguma vez cogitamos os efeitos quando somos os vilões neste cenário?

Nem toda ex-namorada é louca, nem todo ex-namorado é um babaca. Entretanto, todos temos um pouco de responsabilidade pelo tempo em que vivemos esses papéis. Isso não significa que temos que nos chicotear todas as noites (a menos que você curta esse tipo de coisa), ou nos relegar a uma vida de solidão. Só quer dizer que você pode aprender com seus erros no passado.

10. Não farás aos outros aquilo que não quer que façam com você
Os sentimentos às vezes estão prestes a nos machucar, mas se você procurar RESPEITAR o outro, todos os outros mandamentos anteriores deverão acontecer naturalmente.

 

fonte:https://br.mulher.yahoo.com/b

Autoria e outros dados (tags, etc)

por adm às 23:21

Sábado, 15.11.14

Quinze sinais que uma pessoa dá antes da traição

O que se passa na cabeça de alguém que trai o outro num relacionamento? Passamos a vida a imaginar, até que um dia damos de cara com a realidade: dessa vez você é o traidor! Opa, mas como podemos ter certeza de que foi apenas um inocente pensamento passageiro e não um lampejo de transgressão de caráter? Segundo Lane Moore, comediante e editora da Cosmopolitan (e romântica inveterada), existem 15 sinais que indicam quando alguém está dando bandeira de que está prestes a cometer adultério. Confira quais são eles

1. Contar para as pessoas que está num relacionamento, a menos que elas perguntem.“Oh sim, eu não mencionei o Rodrigo? Sim. Estamos juntos. Ainda.”

2. Encarar estranho(a)s bonito(a)s por tempo demais. Aposto que aquela mulher nunca usaria papel higiênico de filtro de café. E dá pra supor que ela provavelmente compra ótimos papéis higiênicos.

3. Passar mais tempo com alguém novo. “É só um café”, você diz. “Trocamos algumas mensagens de texto às vezes”, corrige. “Preferia estar com esta pessoa do que a pessoa com quem estou”, você deixa escapar. Droga, você falou isso alto?


4. Pensar que seu(sua) parceiro(a) pode estar te traindo. O que proporciona a desculpa que você precisava pra ir em frente e trair o(a) outro(a). É como querer furtar algo e dizer a si mesmo que a loja cobra caro demais dos clientes de qualquer maneira, o que é uma forma de roubo. Não é verdade — e não precisa ser só porque você precisa de uma razão.

5. Curtir o tempo que passa longe do parceiro mais do que o tempo juntos. “Sim, tenho que ir ver a Karen hoje”, parece mais um gemido do que uma exclamação.

6. Ter um(a) amigo(a) que não classificaria como algo totalmente platônico. Sim, vocês são amigos, mas vamos parar de besteira. Você estava pensando nele enquanto se masturbava. Outros apareciam na sua mente quando estava excitada. Se a oportunidade de ir em frente sem pagar as consequências aparecesse , você não pestanejaria. Mas sim, é “apenas” um café. OK.

7. Não mencionar mais seu parceiro nas conversas. É como se ele fosse um fantasma que morreu e voltou como um fantasma mais obscuro.


8. Seu(sua) parceiro(a) não é mais a primeira pessoa pra quem você conta boas notícias. “Deus do céu, isso é tão engraçado, mal posso esperar pra ligar para…o Ricardão.”

10. Encontrar defeitos no seu parceiro constantemente. Detonar cada pequeno detalhe sobre a vida de alguém que você está junto é, basicamente, a base da traição.

11. Mandar mensagens para ex-namorado(a)s. Só para o caso de vocês terminarem, agora você tem um backup amoroso. Além do mais, dá pra romantizar o quão incrível foram seus relacionamentos passados, embora, sejamos honestos, eles tenham sido tão ruins quanto o atual.


12. Arranjar briga por nenhum motivo. “Quem deixou o ketchup aberto na geladeira?” — se as desavenças chegam a este nível, e você é quem está provocando, por favor, termine imediatamente. Seus amigos vão concordar comigo.

13. Ficar secretamente aliviada(o) quando sai da cidade, porque isso significa que vai poder sair sozinha(o). Quando o gato sai, os ratos vão cantar Rihanna num bar às três da manhã, na esperança de que alguém os “arraste” pra transar no banheiro.

14. Se arrumar por nenhum motivo. Porque você nunca sabe quando irá encontrar alguém que talvez possa sair ou, em último caso, provavelmente vai.

15. Sentir inveja de amigos que têm encontros selvagens por aí. Cada detalhe horrível, cada experiência sexual ruim, cada cara que arrotou a noite inteira: tudo isso parece o paraíso. Puro céu.

 

fonte:https://br.mulher.yahoo.com/bl

Autoria e outros dados (tags, etc)

por adm às 19:37

Domingo, 09.11.14

Quatro segredos para manter o relacionamento a longa distância

Se a distância faz o coração bater mais forte ou a mente esquecer mais rápido, o debate continua aberto — mas não é fácil manter um relacionamento à distância empurrando tudo com a barriga. Às vezes é necessário relembrar algumas coisas pra manter a chama acesa. Descubra quatro iniciativas que você precisa ter para não deixar a peteca cair, segundo uma pesquisa feita pela Marie Claire norte-americana com seus leitores.

1. Discorde, mas não discuta
Ouça o ponto de vista e faça o possível pra alcançar um consenso. Ir pra cama nervoso é uma péssima ideia, e copiar conversas inteiras em mensagens de texto é ainda mais lastimável. Ligue. Mensagens de texto aumentam as chances de desentendimentos, então grave esta regra: para conversar sobre assuntos importantes, ligue sempre!


2. Mantenha a relação fresca
Aja sempre como se o relacionamento fosse novo. Não caia na armadilha de pensar que cartões e textos (e conversar cinco vezes por dia), além de ter um “eu te amo” no ar até a manhã seguinte, é bobagem. Continue flertando e fazendo as pequenas coisas que fazia quando tudo começou entre vocês. Não dá pra ter vergonha de ser romântico quando a outra opção é cair na mesmice absoluta.

3. Comunique-se todos os dias
Conversar todos os dias pode ser uma preocupação num relacionamento convencional, mas quando você está longe, a falta de comunicação pode gerar inseguranças. Tranquilizem-se um ao outro sobre o compromisso com algum tipo de comunicação diária, seja numa ligação matinal, mensagens de texto ou até emails. Às vezes pode parecer tedioso, porém, mais uma vez, não empurre com a barriga — é importante manter o outro atualizado quando você não está envolvido no dia a dia dele(a).


4. Tenha a sua própria vida
Sim, você é importante, mas encare de uma vez por todas: ele ou ela tem a sua própria vida pra viver além de você. Não pressione por casamento imediatamente só porque você sente muita falta dele(a). Mantenha as coisas em perspectiva e seja paciente. Se você não consegue sair pra jantas com os amigos sem ter que aparecer no Skype pra ele(a) antes, então está na hora de rever suas prioridades.

 

fonte:https://br.mulher.yahoo.com

Autoria e outros dados (tags, etc)

por adm às 11:02

Sábado, 01.11.14

Seis formas de fazer o seu relacionamento funcionar

Vocês estão prestes a terminar? Infelizmente, o fim parece chegar cedo demais para quem está disposto a manter o namoro ou casamento. Mas segundo Elise Nersesian-Solé, sempre há uma luz no fim do tunel. Para a editora norte-americana da revista Marie Claire, existem seis maneiras de fazer o seu relacionamento funcionar. Confira quais são elas!

1) Coloque-se em primeiro lugar
Pessoas que investem tempo em melhorar a si mesmas têm uniões mais felizes do que aquelas que sempre colocam as necessidades do parceiro em primeiro lugar. “Quando você desenvolve seus próprios interesses (cozinhar, aprender uma língua estrangeira), você tem mais a ensinar ao outro”, afirma Gary Lewandowski Jr., PhD da Universidade Monmouth, em Nova Jersey, nos Estados Unidos. “As coisas melhoram porque, ao agir assim, você acrescenta novas camadas e profundidade à relação.”




2) Aposte nas “rapidinhas”
Sexo rápido pode soar anti-romântico, porém pequenas explosões de paixão são capazes de fortalecer a ligação entre os dois — porque liberam dopamina e ocitocina, duas químicas que despertam sentimentos de amor. “Se você está transando regularmente e se fartando desses neuroquímicos, o sexo não precisa ser incrível todas as vezes”, explica o terapeuta sexual Ian Kerner.

3) Respeite a privacidade do seu relacionamento
Quando você briga com um cara, você desabafa online? Casais que postam fotos de vingança no Facebook deixam todo mundo desconfortável. “Se um casal parece feliz demais, eles podem estar tentando compensar suas inseguranças”, defende Bethany Marshall, PhD e autora do livro Deal Breakers. “Ou mesmo o twite passivo-agressivo de uma reclamação é uma maneira mais fácil de lidar com a situação diretamente.”



4) Evite amigos tóxicos
Se o seu casal de amigos está sempre brigando, isso pode parecer irrelevante para o seu casamento, mas uma pesquisa feita pela Brown University garante: se os seus amigos mais próximos se separam, você fica bem mais propenso a fazer isso também! Da mesma forma, se seu/sua colega de trabalho, amigo(a) ou irmã(o) termina com a(o) parceira(o) dele, você tem 33% de chances de fazer o mesmo.

5) Desplugue-se depois do trabalho
“Quando você está sempre trabalhando, não há divisão entre escritório e lar, a situação aumenta o estresse no relacionamento”, afirma Dr. Scott Haltzman, autor de The Secrets of Happily Married Women. Estabeleça um limite para o trabalho, e então desacelerem juntos antes de irem dormir.




6) Terceirize as tarefas domésticas
Passar um pano e esfregar são sempre necessários em qualquer faina, mas é bom saber: maridos fazem menos tarefas do que namorados que moram junto. Sociologistas explicam que as normas sociais são mais definidas num casamento do que no namoro. Se a louça suja na pia causa tensão, então economize uma grana por semana pra conseguir contratar um serviço de limpeza — e use o tempo livre que acabou de conseguir pra fazer algo divertido.

 

fonte:https://br.mulher.yahoo.com/

Autoria e outros dados (tags, etc)

por adm às 23:49

Segunda-feira, 18.08.14

Vida sexual pode ser quente mesmo depois da chegada dos filhos

O bebê chegou, e a vida mudou. É lógico que vocês estão felizes e orgulhosos por se tornarem pais, mas a partir de agora as atenções se voltam para mamadeiras, choros durante a noite e contas a pagar. Nesta nova fase, é preciso cuidado para evitar que tantas responsabilidades e preocupações desacelerem a vida sexual. 

Veja os conselhos da terapeuta sexual Imaculada Marino Gonçalves para reanimar o desejo, esquentar o relacionamento e manter a sensualidade em alta: 

 Reserve um tempinho só pra vocês: é natural que o excesso de trabalho da mulher neste período e a dedicação ao filho sejam prioritários. Mas, ainda assim, é possível fazer um programinha a dois e curtir momentos de intimidade. Assistir a um filme na TV, bem aconchegados no sofá, depois que a criança dormir, já pode ser o começo de uma noite promissora. 

Reprodução



 Invista no romantismo: "Crie situações para namorar e curtir sua companheira, mesmo que não envolvam propriamente o sexo. Saia para conversar e conhecer novos lugares. Um cinema, um barzinho com música ao vivo e um restaurante novo da cidade são excelentes opções", sugere Imaculada. E mesmo se não tiverem com quem deixar a criança, é possível criar um clima intimista. Ouvir uma música romântica enquanto preparam o jantar pode ser maravilhoso! 

 Surpreenda: deixe bilhetinhos pela casa ou telefone no meio da tarde apenas para dizer que ama. Uma mensagem picante no meio do dia pode acelerar a volta pra casa. Gestos inesperados ajudam a acender a paixão e despertar a atração entre o casal. 

 Cuide-se mais: sentir-se confiante é fundamental para despertar o interesse pelo sexo. Por isso Papai, procure praticar um esporte e fique atento à sua saúde e bem-estar. Uma dica boa para ficar perfumado e ainda mais atraente é usar o desodorante Axe, que tem uma fragrância marcante e jovial! 

 Mamãe, faça sua parte! Você não quer que o seu parceiro a veja apenas como mãe, não é? Então, fique atenta à sua aparência! Vista uma lingerie sexy, use um perfume provocante e explore a sua sensualidade. 

 Faça uma viagem no tempo: reviva a época do namoro e relembre todas as características do seu amor que lhe despertavam a paixão e o desejo. Procure identificá-las agora, nesta nova fase da vida. 

 Use a criatividade: tudo é válido entre quatro paredes, claro desde que isso não desrespeite os limites do outro. Juntos, procurem novas posições, realizem suas fantasias, soltem-se mais! Afinal, uma vida sexual saudável é vital e pessoas plenamente felizes, também serão pais mais felizes e melhores! (Fonte: Portal Vital/Unilever)

Autoria e outros dados (tags, etc)

por adm às 22:31

Sábado, 02.08.14

Casais jovens que dividem tarefas de casa fazem mais sexo, diz pesquisa

Há quem ainda pense que tarefas domésticas são coisas para mulheres. Essa ideia tem que ser esquecida e uma pesquisa trouxe um motivo a mais para isso.

Ano passado, um estudo com casais teve um resultado polêmico. Segundo a pesquisa, casais heterossexuais que dividiam as tarefas domésticas faziam menos sexo. Porém, essa pesquisa, que foi muito comentada na época, foi feita com casais de meia idade que já estavam juntos há mais de 20 anos.

Agora, um novo estudo investigou a vida sexual da nova geração. A pesquisa entrevistou pessoas que se casaram nos últimos 20 anos. E o resultado foi justamente o oposto. Entre casais mais jovens, a divisão de tarefas domésticas corresponde a mais prazer sexual e, consequentemente, mais sexo, em comparação aos casais jovens que não dividem as tarefas.

Há, no entanto, uma exceção para os poucos casais nos quais o homem faz todas as tarefas domésticas. Segundo essa pesquisa, nesses casos, que representam 5% dos casais, os parceiros têm menos relações sexuais.

fonte:http://g1.globo.com/g

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

por adm às 00:01

Domingo, 13.07.14

Dormir junto faz bem à saúde, dizem cientistas

Há quem diga que dormir junto faz mal, pois o sono é interrompido muitas vezes durante a noite quando nosso parceiro se mexe na cama. Mas, parece que não é bem por aí. De acordo com uma pesquisa coletiva feita por Andrea Petersen, publicada no The Wall Street Journal, dormir com um parceiro na mesma cama fornece uma gama de benefícios para a saúde. Além do mais, segundo cientistas, dormir ao lado de alguém é uma das razões que explicam por quê pessoas em relacionamentos íntimos tendem a apresentar uma saúde melhor e viver mais tempo que os solteiros.

 

Por que dormir com alguém é mais saudável?
Bem, a explicação da ciência é que compartilhar uma cama reduz as citocinas, envolvidas na inflamação, e aumenta a oxitocina, mais conhecida como hormônio do amor, famosa por aliviar a ansiedade e, coincidentemente, é produzida na mesma parte do cérebro responsável pelo ciclo vigília-sono.

Além disso, de acordo com Wendy M. Troxel, professora assistente de psiquiatria e psicologia na Universidade de Pittsburgh, "os benefícios psicológicos que adquirimos com a proximidade durante a noite supera o preço de dormir com um parceiro". Dormir junto promove o sentimento de segurança e seguridade, que reduz os níveis de cortisol, o hormônio do stress — o que naturalmente te faz dormir melhor do que sozinho.

Como exatamente isso pode me ajudar?
Quando estiver ansioso (a) antes de uma grande prova, apresentação, ou qualquer situação em sua vida, não hesite em chamar seu companheiro ou companheira para dormir junto com você. Isso certamente pode te dar um help na hora de controlar os nervos no dia seguinte.

A pesquisa também mostra que as mulheres num relacionamento estável na verdade caem no sono mais rápido e acordam com menos frequência durante a noite do que mulheres solteiras, ou aquelas cujo o status do relacionamento mudou durante o estudo. Curioso, não?

A importância da nudez durante o sono
Mas a ciência não para por aí. Se quiser aumentar a satisfação na relação, você e seu parceiro devem dormir pelados. Isso mesmo. É completamente intuitivo; dormir nus juntos constrói um senso de proximidade e intimidade, que por sua vez, fortalece o relacionamento.

Por meio de uma pesquisa feita com mil britânicos descobriu-se que 57% dos casais que dormiam nus relataram estar “extremamente felizes” em seus relacionamentos, enquanto que menos da metade que vestia pijama relatou o mesmo.

 

fonte:https://br.mulher.yahoo.com/

Autoria e outros dados (tags, etc)

por adm às 17:13



Pesquisar

Pesquisar no Blog