Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Intimidades Reveladas



Sábado, 15.10.16

Mulher compartilha experiência de perder virgindade aos 30 anos: ‘Não me arrependo’

Uma série de fatores fizeram com que Lianne Stokes, hoje com 37 anos, escolhesse perder a virgindade aos 30 anos. Um deles é a relação com o pai, veterano do Vietnã, que sempre intimidou quem se aproximava, mas a real explicação dada pela moradora do Texas, no Estados Unidos, são as expectativas irreais que criava diante dos relacionamentos. As informações são do site “Daily Mail” e do “New York Post”.

 

Mulher compartilha experiência de perder virgindade aos 30: ‘Não me arrependo’
Mulher compartilha experiência de perder virgindade aos 30: ‘Não me arrependo’ Foto: Facebook / Reprodução

 

Stokes, que escreveu um livro contando sua experiência para ajudar outras mulheres, se recusa a se lamentar por sua escolha, mas é capaz de descrever o que se passava por sua cabeça. “Todas as minhas relações com homens estavam cheias de expectativas irreais”, disse ela. “Eu estava completamente presa a um ideal, sem ser capaz de encontrar algo parecido, então continuei atrasando”, diz.

 

Mulher compartilha experiência de perder virgindade aos 30: ‘Não me arrependo’
Mulher compartilha experiência de perder virgindade aos 30: ‘Não me arrependo’ Foto: Facebook / Reprodução

 

A mulher conta que decidiu perder a virgindade horas antes de completar 30 anos e, uma semana depois, conheceu um escocês num restaurante: seria ele. Os dois foram para casa e Stokes acabou fazendo sexo pela primeira vez e, mesmo que a noite não tenha sido incrível, como ela descreve, não ficaram arrependimentos. “Eu fiz quando estava pronta e levei muito tempo para notar que era parte do meu charme”, disse.

Stokes, que trabalha com publicidade, descreve a sensação de ser “diferente” das outras pessoas. “Quando você é excêntrico, você se sente deixado de lado. Até que percebe que as pessoas te admiram porque você não é como todo mundo. As pessoas não estavam me julgando”.

Por fim, ela dá um conselho para meninas e mulheres: “Acho que elas devem se bastar. Vai ser difícil conseguir e encontrar o amor, mas não desistam”, completa.


fonte:http://extra.globo.com/

Autoria e outros dados (tags, etc)

por adm às 18:01

Sábado, 15.10.16

NOVO PARCEIRO SEXUAL: ATRIBULAÇÕES DA “PRIMEIRA VEZ”

O primeiro tango nunca é o melhor. Só começa a ser bom ao quarto ou ao quinto, às vezes mais. É preciso tempo. Os corpos precisam de tempo.

Lembras-te da primeira vez?” É uma ocasião mais ou menos memorável eu diria para a maioria das pessoas, aquela que foi a primeira experiência sexual, ou melhor, o primeiro coito. A “primeira relação sexual” é vulgarmente entendida como a primeira vez que é consumado um coito vaginal. Tudo o que se faz antes disso, não é considerado sexo. Mas, então e a mão por baixo do vestido? E aquele toque intencional da outra mão que tão bem sabe ao que vai? E os beijos de olhos fechados como se aquela boca fosse o corpo todo? Isto e muito mais, não é sexo…? Pois claro que é, basta considerar os níveis de excitação que daí vêm.

Mas não é sobre esta primeiríssima vez que estou a pensar. O que pretendo é apontar as vicissitudes da primeira vez com alguém, com um novo e potencial parceiro. A proposta que faço é a de abrir aquele ficheiro erótico chamado “As minhas primeiras vezes”. Alguns lembrar-se-ão de todas, outros apenas de algumas, talvez só das melhores, ou das piores. Se imaginarmos esse ficheiro na forma de álbum de fotografias com legendas e o folhearmos, o que é que encontramos? Pode ser um exercício divertido, ou nem por isso.

FOI BOM PARA TI?

Antes de mais, faço notar que não estou a falar de encontros sexuais isolados, daquela one night standsem qualquer intenção de se repetir. Estou antes a referir-me àquela “primeira-vez” em que existe a ideia de continuidade. Mas as coisas não são nada lineares, e não raras vezes a relação que se pensava ter continuidade não resiste ao primeiro encontro erótico e uma one night stand resulta numa relação de compromisso. Felizes casualidades e tristes expectativas, há de tudo. A permanente dificuldade com que me deparo todas as vezes que escrevo sobre sexo é que sempre que falamos sobre comportamentos sexuais entramos no Reino da Diversidade, e este mundo é magnífico mas muito difícil escrever sobre ele.

A primeira-vez com alguém, independentemente do tipo de continuidade que se deseja, tem umas componentes que podem fazer dela um momento inesquecível, ou uma ocorrência desastrosa (às vezes, inesquecível de desastrosa que foi). Alguns dizem que foi “mais ou menos”, ou seja, má. Aqui não há “mais ou menos”, ou se gostou ou não se gostou, as razões para se gostar ou não gostar é que podem ser muito diversas. “Foi bom” porque deu prazer, ou “porque EU lhe dei prazer”, porque permitiu conexão emocional, porque foi uma expressão de amor, porque me entreguei, porque ele fez exactamente o que eu gosto, porque ela tem umas mamas e um rabo do outro mundo, porque senti que ele me ama, porque foi espontâneo, porque consegui levá-la para a cama (um troféu), enfim, são alguns exemplos de expressões que tenho ouvido sobre as razões que podemos agrupar em emocionais, relacionais, físicas, ou maquiavélicas, eu diria.

As razões para não se ter gostado da primeira-vez podem ser ainda mais, atrevo-me a dizer. E é assim pelo facto de poderem existir imensos turn off, ou seja, coisas que instantaneamente matam a excitação sexual e o erotismo. “Não foi bom” porque não gostei do cheiro dele, porque ele ejaculou demasiado depressa, porque os preliminares foram insuficientes, porque ela foi muito passiva, porque falava demais, porque falava à bébé, porque não tivemos privacidade, porque o sexo oral foi mau, porque a coisa não fluiu, não houve química, enfim.

Enumerar as razões de gostar ou não gostar, seria como descrever as impressões digitais. A única coisa que há a dizer é que a experiência é única, e cada um tem a sua. E mais, o que é um turn off para uns, pode ser um turn on para outros, por exemplo, falar durante o sexo ou fazer sexo em lugares públicos. Aquilo que é excitante para uns, pode ser inibidor para outros.

O QUE É QUE PODE ESTRAGAR TUDO?

Poderão intervir algumas variáveis perturbadores que fazem agitar as águas, e vou generalizar para o contexto heterossexual. No caso dos homens, é o receio de não ter uma boa performance sexual, por vezes mesmo um medo de falhar, e o receio de não satisfazer a parceira. No caso delas, o gigante Adamastor é o medo de não ser suficientemente atraente e de não agradar ao parceiro. “Ele gosta do meu corpo?” Enquanto eles se inquietam em silêncio com a pergunta “Ela gostou de estar comigo?”

Outra variável predadora do prazer no primeiro encontro é a expectativa que, pode ser demasiado elevada, ou irreal. Tecem-se fantasias e idealizações alimentadas pelo fogo do desejo e da excitação e depois… catrapuz. Nunca é como se imaginou. Este cenário é mais provável quando se é pouco experiente, e no caso das mulheres mais devotas ao amor romântico (em que ele vem com as flores e as velas e a lareira, etc).

Podemos ainda apontar outra variável que pode atribular essa primeira-vez. O preservativo, esse artificialismo de latex que, apesar de imperativo na primeira vez, pode atrapalhar por duas razões. Uma, porque “corta o momento” como se costuma dizer, obriga a uma paragem que, não só é uma interrupção indesejável, como também pode fazer perigar a função eréctil para os mais ansiosos (e mais idosos). Outra, porque não deixa sentir completamente o corpo do outro, perturba a sensação real da textura e da temperatura do pénis e da vagina.

O que é verdade, é que apesar de ser condição sine qua non na primeira-vez, ainda é elevada a percentagem de comportamentos de risco. Estas razões podem ajudar a explicar o não uso do preservativo, mas há outras. O discurso do prazer não é compatível com o discurso da saúde e do medo. Ou seja, naquele momento impera o discurso do prazer, os protagonistas estão em modo prazer e não querem activar o discurso interno do medo das infeções e das doenças.

Pode ser difícil lidar com uma má primeira-vez. Algumas deixam a promessa intuitiva de poder ser melhor, outras nem por isso. Na maioria das vezes fica tudo envolto num nevoeiro de silêncio, porque não se percebeu bem o que aconteceu, porque não se consegue falar sobre isso. Fica tudo à mercê do não dito e cada um fica entregue a si próprio e faz as interpretações que entender. É difícil falar sobre o que aconteceu, porque o encontro sexual é sempre um encontro íntimo (mesmo quando não se tem intimidade). Os corpos desnudam-se, ficam expostos, trocam-se cheiros, movimentam-se em posturas que expõem. Estão envolvidas altas instâncias do nosso mundo mais privado. Coisas sérias vão a jogo, como a auto-confiança, a masculinidade, a auto-imagem, a auto-estima. Por tudo isto é difícil falar um com o outro sobre o sexo que acabaram de fazer.

Eu diria que o grande factor protector da primeira-vez é a imprevisibilidade, ou seja, é quando não é esperado, quando não era suposto acontecer mas acontece. Não é ser espontâneo, é ser inesperado. Não é a espontaneidade, é a imprevisibilidade. O que é previsível é anti-erótico. O erotismo faz-se da surpresa e do imprevisto.

E não haja ilusões. Não é no nosso álbum das primeiras vezes que encontramos as melhores experiências. Essas vêm depois, com a prática. O primeiro tango nunca é o melhor. Só começa a ser bom ao quarto ou ao quinto, às vezes mais. É preciso tempo. Os corpos precisam de tempo.

fonte:http://visao.sapo.pt/o

Autoria e outros dados (tags, etc)

por adm às 17:54

Sábado, 15.10.16

Como ser traída afeta seu próximo relacionamento

1. Não espere se sentir ok

Nos filmes e na TV vemos a traição como um entretenimento. Mas se acontecer na sua vida vai ver como é um droga, você vi se sentir mal, ficar brava, magoada. E vai se sentir insegura para pular em um novo relacionamento, então não tenha pressa - sinta essa dor!

 

2. Quando entrar em um relacionamento, vá com calma

Você sofreu antes, e não quer se sentir vulnerável de novo, então é normal querer ir com calma. Um relacionamento monogâmico quer dizer confiar 100% na pessoa e vai demorar um pouco até se sentir assim de novo.

 

3. Você terá que ser honesta em como seu relacionamento acabou

Claro, não precisa começar no primeiro encontro soltando a bomba, mas se as coisas começarem a ficar mais sérias é bom deixar claro o que aconteceu e que você estará de olhos abertos dessa vez.

 

4. Os problemas do seu último relacionamento estarão frescos na sua cabeça

É óbvio que a culpa do seu ex ter te traído não foi sua, mas é natural ficar pensando "Será que eu era muito pegajosa? Será que não dava tanta atenção?" É sempre legal fazer uma autoánalise mas lembre-se que cada relacionamento é diferente.

 

5. Você ficará um pouco paranóica

É natural. Você confiou em alguém e essa pessoa te decepcionou. Na hora de precisar confiar de novo bate aquela dúvida: e se essa pessoa te decepcionar? Um parceiro que se importa vai entender e com o tempo você vai ver que se ele não te dá motivos, não tem com o que se preocupar.

 

Veja também: 9 lições de Beyoncé sobre traição com Lemonade

 

6. E o medo de parecer paranoica pode te impedir de falar

Ás vezes, por insegurança do que seu parceiro vai achar você pode deixar de comentar com ele que algo te incomodou. Os seus sentimentos são válidos independente do que você tenha passado antes. Então, fale!

 

7. Você vai sempre comparar as coisas com o seu antigo relacionamento. Mas não faça isso!

Não é justo tratar mal alguém por experiências antigas com terceiros. Por mais que encontre semelhanças, repare nas diferenças e não deixe traumas do passado dominarem sua vida.

 

8. Coisas pequenas se tornam gigantes

Depois do seu terrível término é normal que você comece a se preocupar com coisas que antes passavam desapercebidas. Uma amiga mais próxima, a demora pra responder a mensagem. Não deixe isso te consumir, a sua nova relação é diferente da última.

 

9. Você provavelmente ainda vai ficar triste quando falar do seu ex

Sempre terão momentos em que só de lembrar você morra de raiva do cafajeste, especialmente se acabou de acontecer. Ficar mal ao lembrar de um antigo relacionamento não quer dizer que você quer ele de volta, e se não estiver te fazendo mal, o seu parceiro deve entender.

 

10. Seu novo relacionamento vai ser incrível

Por mais que ser traída dói, e muito, não te impede de viver e ser feliz! Você vai perceber o que é uma relação saudável, com alguém fiel e que te ame assim como você o ama <3.

fonte:http://mdemulher.abril.com.br/a

Autoria e outros dados (tags, etc)

por adm às 17:53

Sexta-feira, 14.10.16

6 segredos infalíveis para atingir o orgasmo

O orgasmo feminino pode ser complexo e depender de muitos fatores, da posição sexual ao clima e sintonia entre o casal. Segundo pesquisa da federação americana Planned Parenthood, uma em cada três mulheres tem dificuldade em atingir o clímax, sendo que algumas nunca chegam a gozar com o parceiro.

 

É claro que o orgasmo feminino durante a relação sexual é resultado da interação entre o casal, e não apenas responsabilidade da mulher. No entanto, existem algumas técnicas que são capazes de ajudá-la a aumentar o prazer - e até a ter orgasmos múltiplos - na hora H. A Marie Claire norte-americana selecionou 6 segredos que são infalíveis para impulsionar a libido. Confira!

1. Competição do bem
Inscreva-se em uma meia maratona ou faça algumas aulas de vôlei ou tênis: a sua vida sexual agradece. Segundo um estudo publicado no periódico "Evolution and Human Behavior", a competitividade aumenta em 24% os níveis de testosterona na mulher - e, como se sabe, qualquer aumento nas taxas hormonais contribui para a libido.

2. Se aqueça
Tome um banho quente antes do sexo ou, se não há tempo para isso, coloque uma toalha aquecida na parte externa da sua vagina por alguns minutos. Segundo Hilda Hutcherson, autora do livro "Peasure", o calor ajuda a melhorar o fluxo sanguíneo na região, aumentando a lubrificação e a sensibilidade - e contribuindo para o orgasmo feminino.

3. Bebida afrodisíaca
Que tal apostar em uma bebida que há milhares anos é considerada afrodisíaca? Antes da relação sexual, beba leite quente com uma pitada de açafrão. Segundo Aliza Baron Cohen, autora de "Sex: Rediscovering Desire Through Techniques & Therapies", o sabor e o efeito do açafrão são intensificados quando a substância é aquecida.

4. O momento certo
Segundo a sexóloga Gabrielle Lichterman, durante os dois primeiros dias do ciclo menstrual, os níveis de testosterona da mulher sobem, a libido aumenta e regiões como o clitóris e os seios se tornam mais sensíveis. Por isso, a probabilidade de orgasmos mais intensos, e múltiplos, é maior nesse período.

5. Tecnologia amiga
Não subestime o poder dos produtos eróticos, em especial do vibrador: segundo estudo feito com 1.600 mulheres no Berman Center, Estados Unidos, aquelas que apostam na tecnologia têm maior facilidade em chegar ao orgasmo durante o sexo.

6. Posição certeira
Experimentar novas posições sexuais é importante para o casal, mas também é ideal que você saiba quais delas são garantia de orgasmo. Segundo a especialista Emily Dubberley, a "técnica de alinhamento", por exemplo, aumenta entre 23% e 77% as chances de se chegar ao clímax. Nela, o homem se deita em cima da mulher, com a pélvis diretamente sobre a dela, enquanto a parceira posiciona as suas pernas em volta das coxas dele. Com o movimento de ir e vir, e com o ritmo mais adequado ao casal, o clitóris estará em contato com a base do pênis, facilitando o orgasmo.

fonte:http://revistamarieclaire.globo.com/

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

por adm às 19:36

Sexta-feira, 14.10.16

Sexo quente: 3 maneiras de bombar as preliminares

Uma boa partida começa com o aquecimento certo. Isso funciona também na hora do sexo. Se você e o gato estão indo muito rápido aos “finalmentes”, estão perdendo uma boa chance de estender seus minutos de prazer e deixar o corpo mais preparado para o tão esperado orgasmo. O momento de aprender a bombar suas premilinares é agora.

 

1. Anote tudo!
Já no primeiro toque. Para você e o boy já começarem com o pé, ou melhor, com a mão direita, faça carinhos nas partes mais erógenas do corpo um do outro. Algumas sugestões: interior das coxas, atrás dos joelhos, orelhas e nuca.


2. Acenda uma vela com aroma para esquentar o clima e deixar tudo mais gostoso.
Dica amiga: Os aromas de lavanda e torta de abóbora aumentam a circulação de sangue na vagina em 11%, diz um estudo do Smell and Taste Treatment and Research Foundation in Chicago (Fundação Cheiro e Sabor Tratamento e Pesquisa, em tradução livre).


3. Leia um trecho bem quente para ele de algum livro que te fez se sentir animadinha. No site da COSMO, toda sexta-feira tem o #ClubeDoLivroErótico, que traz cenas picantes dos nossos livros favoritos – eles te darão ótimas ideias!

fonte:http://mdemulher.abril.com.br/a

Autoria e outros dados (tags, etc)

por adm às 19:34

Sexta-feira, 14.10.16

Quer acabar com as dores? Faça sexo todos os dias

O sexo está sempre atrelado ao prazer e muitas vezes é difícil pensar nessa prática como algo que pode melhorar a qualidade de vida. Além de satisfazer o desejo, você sabia que a prática sexual pode trazer outros benefícios? Pois é meu amigo, a transa relaxa, pode te deixar mais bonito e é boa para a saúde. Descubra seis motivos que vão te deixar com mais vontade de fazer sexo.

Antes das dicas dos benefícios do sexo, vale ressaltar que, para aproveitar melhor o momento, é recomendável abusar das preliminares. A ginecologista da USP Cristina Carneiro explica que, para turbinar a relação, o homem não deve focar apenas no ato da penetração.

“Explore o corpo da parceira, estimule várias áreas diferentes e encontre uma nova maneira de fazê-la chegar ao êxtase do tesão. Foque pelo menos 15 minutos nessa prática e você perceberá o quanto sua parceira ficará louca e atingirá o clímax bem mais rápido na hora da transa”, aconselha Cristina para a Vagisil.

Para não cair na rotina não fique com medo de sugerir brinquedos e brincadeiras sexuais. “Invista em brinquedos, lubrificantes e apetrechos que possam estimular seus sentidos e os dela e não deixe de experimentar brincadeiras sexuais mais quentes. Além disso, existem muitos lugares onde o sexo pode ser praticado e que podem despertar o interesse de ambos”, fala a ginecologista.

Adeus estresse


A especialista explica que durante o sexo os neurotransmissores endorfina e serotonina (hormônios de prazer e relaxamento benéficos para a saúde) são liberados no cérebro. Isso significa que você se sentirá mais disposto e com bom humor. O melhor é que essa sensação pode durar por horas.

Durma bem


Depois da relação é normal sentir o corpo mole e bater aquele soninho. Cristina fala que isso acontece porque com o orgasmo é liberado hormônios que deixam tanto o homem quanto a mulher relaxados e sonolentos. Fala se não é uma boa notícia para os sonâmbulos de plantão?


Adeus dores


E você sabia que o sexo é mais eficaz que muitos analgésicos? “Durante a relação, são liberadas ocitocina e endorfina, que aumentam a tolerância à dor, além da diminuição da pressão dos vasos sanguíneos, combatendo a dor de cabeça e as cólicas menstruais”, explica a especialista.


Fique mais galã


A relação sexual auxilia a produção de colágeno, ou seja, a pele e os cabelos ficam mais brilhantes, macios e rejuvenescidos. Você nem vai precisar apelar para os cosméticos!


Saúde de ferro


O sexo também traz vários benefícios à saúde. “Além de fortalecer o sistema imunológico, aumentando os níveis de anticorpos, a prática ainda é um ótimo exercício para a musculatura do coração, prevenindo doenças cardíacas”, diz Cristina.


Perdendo calorias


Pois é, transar é um exercício físico e quanto maior for a frequência e a intensidade da prática, mais calorias você perde. Fora isso, você ainda melhora a flexibilidade, a força e atua na tonificação dos músculos.


Mais libido


Não é ironia! Cristina afirma que quanto mais se pratica, mais o desejo aumenta. “Uma transa incrível te ajuda a trabalhar sua sexualidade e autoconhecimento, além de aumentar a intimidade e confiança, deixando a relação mais envolvente e ativa, com aquele gostinho de quero mais”, completa.

fonte:http://www.24horasnews.com.br/

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

por adm às 19:33

Pág. 4/4




Pesquisar

Pesquisar no Blog