Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Intimidades Reveladas



Quinta-feira, 18.12.14

Corta clima: seis atitudes que fazem os homens perder o interesse na cama

Homens e mulheres têm maneiras diferentes de pensar, e quando se fala em sexo o que é agradável para um pode não ser muito apreciado pelo outro. Para você acertar em cheio e garantir mais prazer, conheça seis atitudes que eles definitivamente não gostam na hora “H”.

DESCULPAS PARA NÃO TRANSAR

Está pensando em usar aquela história da dor de cabeça? É melhor deixá-la de lado e dizer a verdade. “Eles não gostam de desculpas para não ter sexo e ouvir isso da parceira, ou que ela está cansada é frustrante. É MELHOR OUVIR QUE NÃO ESTÃO NO CLIMA e, quem sabe, partir pra uma sedução ou aquela massagem estimulante de desejo”, revela a sexólogaVÂNIA BRESSANI, da Sensorella.

APONTAR O TEMPO

Se o sexo acabar rápido demais, tente não dizer isso ao parceiro de maneira indelicada ou em tom de cobrança, já que essa já é uma grande frustração para eles: “ELES FICAM MAL QUANDO EJACULAM ANTES DA HORA. O controle ejaculatório nem sempre é eficaz, principalmente se o tesão é grande ou a estimulação erótica vigorosa. Algumas posições, movimentos fortes ou contração vaginal intensa aceleram isso”.

LUZES APAGADAS

Quer desligar a luz para esconder aquela parte do corpo que te incomoda? Acredite, ele não vai ligar para uma estria, celulite ou aquela dobrinha que você odeia ver no espelho, e certamente vai curtir muito mais poder te enxergar claramente: “ELES NÃO APRECIAM TRANSAS ÀS ESCURAS. Como são visuais, precisam ver e apreciar suas parceiras nas posições sexuais. Quer correr o risco de seu parceiro ‘brochar’? Não o deixe apreciar a cena”. 

PRELIMINARES DEMORADAS

O sexo feminino e o masculino têm maneiras diferentes de responder às preliminares, e por mais que gostem de te fazer aquela massagem caprichada, recebê-la de volta por muito tempo não costuma agradá-los. “ELES TÊM O TEMPO DE EXCITAÇÃO MAIS RÁPIDO QUE AS MULHERES E SÃO VISUAIS, enquanto elas precisam mais da estimulação tátil e auditiva. Massagens ou preliminares demoradas podem causar perda do foco erótico e perda da ereção”, alerta. Portanto, é melhor investir em toques mais curtinhos no gato.

TROCAS CONSTANTES DE POSIÇÃO

Trocar de posição durante o sexo é muito comum, mas quando elas são muito frequentes é comum que eles se desconcentrem: “Eles não gostam de muitas trocas. Enquanto as mulheres procuram a melhor posição para serem estimuladas eles se desconcentram na troca e saem do clima”.

“MULHER-GENERAL”

Assumir o papel de dominadora pode ser bem bacana, mas é preciso ter certeza de que o amado gosta e não exagerar nos comandos. “Eles podem ficar inseguros com mulheres que partem para cima. Muitas vezes A INICIATIVA FEMININA CAUSA INSEGURANÇA EM HOMENS ACOSTUMADOS A COMANDAR A TRANSA”, revela.

 

fonte:http://www.cenariomt.com.br/

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

por adm às 14:45

Quarta-feira, 17.12.14

Kim Kardashian está implorando para ter relações sexuais com Kanye West. Saiba mais!

Kim Kardashian é o grande símbolo sexual dos últimos anos, mas parece que a relação entre ela e seu marido, Kanye West, não anda nada bem.

Apesar de Kanye sempre se declarar para a amada nas redes sociais, os dois nãos estão tendo tempo para se amar. Uma fonte contou ao HollywoodLife:

Parece ridículo que o maior símbolo sexual de sua geração está tendo que implorar para ter sexo, mas é exatamente isso que está acontecendo.

Mas, a razão para isso não é porque Kanye está brigado com ela, mas sim, porque seu trabalho está tomando conta de sua vida:

Kanye ama Kim e está sempre dizendo isso a ela. Não é que ele não quer fazer sexo com ela, é porque ele está ocupado com trabalho. Ele está viajando constantemente e não se sente confortável com Kim tendo que arrastar North ao redor do mundo.

E sabe as razões para que Kim esteja louca para ter relações sexuais com Kanye? A fonte explica: asocialite quer ter outro filho.

- Ela está com 34 anos e sabe que ter um bebê, e ter o seu corpo de volta só vai ficar cada vez mais difícil a medida que vai envelhecendo.

 

Fonte: R7.com

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

por adm às 14:44

Terça-feira, 16.12.14

Os tipos físicos que mais agradam no sexo casual

Manter o corpo em forma para agradar o parceiro. Esta é uma das preocupações de quem pratica sexo casual, coforme pesquisa realizada pelo site de encontros C-date com seus usuários. Para eles, uma boa aparência e um visual caprichado garantem muitos pretendentes e quem sabe até um encontro casual bem “quente”.
Da mesma forma que se preocupam com o próprio visual, os usu´rios també desejam encontrar sempre alguém que possa atender suas expectativas em termos de material genético e apresentação. Assim, o C-date resolveu perguntar aos seus usuários: qual o tipo físico que mais agrada na hora do sexo casual? As respostas desmontaram aquela ideia fixa de que os homens e mulheres de corpo sarado são os mais escolhidos para a hora do sexo.
De acordo com a pesquisa, cerca de 63,39% dos usuários brasileiros do sexo feminino e masculino, preferem parceiros com o “corpo normal”, nem muito magros e nem acima do peso. O corpo, apesar de ser importante, é considerado pelos usuários como algo que pode ser suplantado pelas alternativas: uma boa conversa, inteligência, apresentação pessoal, dinamismo, entre outros. Estes atrativos são as alternativas daquilo que muitos consideram o ponto máximo para uma boa transa: ter o corpo perfeito.
Tanto é assim que, entre as opções escolhidas pelos usuários, o tipo “sarado” apareceu com 14,21% como preferido das mulheres e dos homens. Os “gordinhos” ganharam 10.07% do total de votos e ficaram como a última opção, deixando para os magrinhos e magrinhas a terceira posição da pesquisa, com 12.34% dos votos. Ou seja, de acordo com a pesquisa, estar no peso normal é algo apreciado entre os usuários cadastrados no C-date, cuja especialidade é facilitar o encontro casual entre eles, que pode ou não terminar em sexo.
O C-date está presente em 35 países com cerca de 15 milhões de usuários, sendo mais de 4 milhões somente no Brasil. A tíulo de comparação, a pesquisa foi realizada também com os usuários do site na Itália. De acordo com a preferência, os tipos “normais” também aparecem no topo para um encontro ou sexo casual com 75.69% dos votos tanto para as mulheres como para os homens.
Se por terras brasileiras, o tipo “sarado” ganhou a segunda colocação, na terra da pizza eles não conseguiram desbancar os magrinhos e caíram para a terceira escolha entre as italianas e os italianos, com apenas 7,64% dos votos. O tipo “magrinho” foi o segundo colocado entre as preferências, com 9,72%. Tanto lá como cá, os gordinhos receberam a menor votação. Na terra da pizza, os mais cheinhos ficaram atrás, com 6.94%.

Website: http://www.c-date.com.br

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

por adm às 14:42

Domingo, 14.12.14

Dez coisas que você não sabia sobre as ereções

O organismo feminino é bastante complexo, mas isso não significa que o corpo dos homens não tenha seus mistérios, peculiaridades e estratagemas aparentemente indecifráveis. Quando ereções são um problema é que costumamos tocar no assunto, pois muito se fala sobre a falta delas, ou o extremo oposto, em ter a melhor ereção. Por outro lado, a revista Women’s Health revela que há pelo menos dez fatos fascinantes que você precisa saber sobre as ereções.

1. Existem três tipos de ereções
É isso mesmo, há uma ereção separada para diferentes ocasiões. Ereções reflexogênicas, vêm de contato real, ereções psicogênicas vêm de estimulação audiovisual ou fantasias, e as ereções noturnas ocorrem, naturalmente, à noite. A segunda dos dois tipos de ereções nem sempre são intencionais, e podem surgir em momentos inoportunos.

 

2. Fumar e beber não facilita a ereção
Estudos têm mostrado que os homens mais jovens que sofrem de disfunção erétil podem ter esse problema por causa da bebida e do cigarro, assim dosar isso vai realmente ajudá-lo a manter uma boa ereção na hora H.

3. Sexo oral pode deixar ereção ainda maior
Um estudo descobriu que os homens que recebem o sexo oral antes de medir suas ereções (é sério, este estudo foi real), mostrou que os membros ficam significativamente maiores do que os homens que tiveram o pênis medido após fantasias ou fazendo sexo com a mão.

4. Mais sono = melhor ereção
O sono não só afeta o desejo sexual, mas também interrompe o ciclo normal de ereções que ocorrem durante a noite. Sem falar, é claro, dos outros benefícios e energia extra que você terá após uma boa noite de sono, não é verdade?

 

5. Questões de privacidade
Depende do homem, mas a privacidade de sua localização para fazer sexo pode afetar a sua ereção. Se ele vive com um grupo de colegas de quarto ou com os seus pais ou tem um casal de filhos na casa em que está querendo transar, ele pode ter mais dificuldades em conseguir uma ereção.

6. Pode ser um pouco torto
Não se desespere se o membro tem uma ligeira curva para a direita, quando ele fica animado. A curvatura pouco abaixo da cintura é totalmente normal. Mas se a curva é extrema ou causa desconforto, pode ser a doença de Peyronie, caracterizada pelo tecido cicatricial no interior do pênis. Se este for o caso do seu parceiro, ele deve ver um urologista para diagnosticá-lo.

7. Masturbação faz diferença
Quando um homem não se masturba por alguns dias, não haverá mais o fluxo sanguíneo para o pênis dele quando ele estiver se estimulado novamente, o que significa uma ereção ainda maior, de acordo com a terapeuta sexual Ian Kerner, Ph.D., autor do livro “She Comes First”.

 

8. O tamanho importa
E por tamanho, estamos querendo dizer sobre o tamanho do corpo. Homens que são obesos têm níveis muito mais baixos de testosterona, e, assim, não funcionam muito bem. Manter um peso saudável é definitivamente o melhor interesse de um tesão.

9. Sim, preservativos podem tirar seu prazer
Mas não para todos os homens. Um estudo recente do Journal of Sexual Medicine descobriu que alguns homens realmente têm problemas de ereção associados a preservativos, e esses homens podem precisar de mais tempo e estímulo extra para manter a sua vela acesa.

10. Elas podem ser um pouco incontroláveis
Seja grata pela capacidade feminina de ter orgasmos múltiplos, porque os caras não são tão sortudos. De fato, 30 por cento dos homens dizem que estão insatisfeitos com o tempo que suas ereções podem durar. A maioria deles até ficam excitados demais ou têm uma falta de controle sobre suas ereções. E eles dizem que nossa anatomia é confusa?

 

fonte:https://br.mulher.yahoo.com/

Autoria e outros dados (tags, etc)

por adm às 14:39

Domingo, 07.12.14

Homens preferem amantes inteligentes

Homens preferem amantes inteligentes …e ainda uma noite de prazer com amante em detrimento de um programa cultural com a parceira.

Multiplicam-se as teorias quando o tema é a traição. Diz-se que a infidelidade é parte da natureza humana e que a monogamia não existe. Muitos defendem que é pecado, outros alegam que cada um faz o que quer com o corpo, e por oposição aos que acreditam que flirtar virtualmente não é considerado traição, há aqueles que afirmam com todas as letras que basta uma simples mensagem com conteúdo mais duvidoso para que exista infidelidade.

Estudos comprovam que os homens pensam mais em sexo do que as mulheres, mas será que eles só pensam mesmo nisso? 4.345 utilizadores do site AshleyMadison.com responderam “não” à pergunta, e concluiu-se que o “conteúdo” (leia-se inteligência) influencia positivamente o desejo sexual. Sobretudo no caso da amante. “Mulheres mais inteligentes são melhores na cama”, afirmam os utilizadores que participaram no inquérito.

80% dos homens revelaram ter companheiras com nível cultural bom/acima da média, mas, ainda assim, 69% dos utilizadores questionados dizem preferir uma noite de sexo com a amante em detrimento de um programa cultural com a parceira (apenas 31% dos homens afirmaram o contrário). Fora da cama e ainda com a amante, “cultura” é o assunto predileto dos homens.

“Percebemos, com o inquérito, que a inteligência e um bom nível de cultura geral podem atrair mais um homem do que um corpo escultural. E, mais caricato do que isso, é o facto da inteligência da amante ser, para os utilizadores, mais importante do que a da parceira”, refere Eduardo Borges, diretor geral do AshleyMadison.com, em alusão à pesquisa. “Por mais que os homens procurem casos extraconjugais com o intuito de satisfazer os seus desejos sexuais, a verdade é que eles acabam por interessar-se pelo lado intelectual da amante”, acrescenta o diretor geral.

fonte:http://flagra.pt/

Autoria e outros dados (tags, etc)

por adm às 20:14

Sábado, 06.12.14

Pesquisa mostra que 48% acham errado mulheres saírem sem o namorado

Uma pesquisa feita pelo Instituto Avon e Data popular revelou que 48% dos jovens acredita que é errado mulheres saírem sozinhas com amigos, sem a companhia do esposo ou namorado. Foram ouvidos 2.046 jovens de 16 a 24 anos de todas as regiões do país - 1.029 mulheres e 1.017 homens. 

 

 

Na entrevista, que foi realizada pela Internet, 96% dos jovens afirmaram viver em uma sociedade machista. Porém, ao mesmo tempo, 68% acreditam ser errado a mulher ir para a cama no primeiro encontro e 76% criticam as que têm vários parceiros sexuais. Desses jovens, 80% acreditam que mulher não deve ficar bêbada em festas ou baladas. 

 

Na pesquisa ainda é possível perceber o quanto é comum nos namoros o controle excessivo por parte dos homens sobre a vida das mulheres. Ainda foi revelado que o sexo feminino ainda é vítima de constantes assédio, constrangimento e intimidação nos espaços públicos. 

 

Vítimas de assédio

 

 

Das jovens que foram entrevistadas, 78% delas afirmaram que já sofreu algum tipo de assédio como cantada ofensiva e abordagem violenta nas baladas. Elas disseram que já foram até beijadas à força. Três em cada dez afirmam que foram assediadas fisicamente no transporte público. 

 

Relacionamento

 

 

No relacionamento entre jovens aparecem com frequência as ações de controle e violência contra o sexo feminino: 53% delas dizem que já tiveram o celular vasculhado e 40% afirmam que o namorado controla o que fazem, com quem e onde estão. Ainda, 35% relatam que foram xingadas pelo parceiro e 33% contam que foram impedidas usar determinada roupa. 

 

 

Obrigadas a transar

 

 

Das mulheres que deram seus depoimentos, 9% afirmam que já fizeram sexo obrigadas e 37% revelaram que transaram sem camisinha, por conta da insistência do parceiro. 

 

 

Redes Sociais

 

 

A Internet tem sido um meio de controle por parte dos namorados: 32% das jovens já excluíram algum amigo do Facebook a pedido do parceiro, 30% contam que tiveram e-mail ou perfil de rede social invadido pelo namorado e 28% contarm que foram proibidas de falar com amigos pela Internet

 

 

Das jovens entrevistadas, 15% contam que foram obrigadas a revelar aos namorados suas senhas de e-mail e Facebook e, infelizmente, 2% dizem que já sofreram ameaça de cibervingança - a divulgação de fotos ou vídeos íntimos. 

 

Mulheres machistas

 

 

O levantamento ainda mostrou que 42% das mulheres, contra 41% dos homens, concordam que uma garota deve ficar com poucos homens. E 43% dos jovens ainda rotulam as mulheres que são para "ficar" e para "namorar". Eles acreditam que as que se relacionam com muitos homens não são para ter um namoro. Entre as meninas, 34% pensam como os rapazes. 

 

 

Apesar desse aparente machismo feminino, apenas 20% das mulheres acreditam que as que usam decote e saia curta estão se oferecendo, contra 30% dos homens. 

 

fonte:http://www.dm.com.br/

Autoria e outros dados (tags, etc)

por adm às 22:21

Sexta-feira, 05.12.14

Pico sexual das mulheres é aos 26 anos

É aos 26 anos que a maioria das mulheres pratica o melhor sexo das suas vidas, segundo um estudo feito pela LoveHoney, uma empresa norte-americana que produz brinquedos sexuais. Já os homens apenas alcançam o pico sexual aos 32 anos, seis anos mais tarde que o sexo f eminino. Tracey Cox, especialista em relacionamentos, não ficou surpreendida com esta conclusão, mas considera, em declarações ao Daily Mail, que vem "destruir o mito de que as mulheres levam mais tempo a dominar as suas respostas sexuais". O estudo da empresa norte-americana revelou também que a maioria das mulheres perde a virgindade aos 16 anos (nos EUA), enquanto os homens o fazem um ano mais tarde, aos 17. Na investigação do LoveHoney participaram mil adultos, entre os 18 e 65 anos.

fonte: http://www.cmjornal.xl.pt/

Autoria e outros dados (tags, etc)

por adm às 22:18

Quinta-feira, 04.12.14

Será que os homens e as mulheres não foram feitos para dormir juntos?

Imagine o que é acordar gelada, várias vezes por noite, e ter de lutar por uma pontinha do edredão. Ou passar horas a pensar em como seria bom que inventassem um controlo remoto mágico para poder tirar o som ao ronco do marido, que parece aumentar de intensidade cada vez que você se sente a cair nos braços de Morfeu. Ou ainda ser despertada violentamente com um braço descontrolado em cima da cara, um joelho nos rins ou um pontapé nas pernas. Se calhar não tem de imaginar e esta é a sua realidade no dia a dia, ou melhor, noite após noite. É verdade que não precisamos de ter companhia na cama para ter uma insónia, mas muitas vezes a causa das noites em branco está na pessoa que amamos e que está mesmo ali ao nosso lado.

Mais vale só

Nem bem, nem mal acompanhado, é o que pensa João Duarte, 38 anos, que não quer ouvir falar em dormir com outra pessoa no mesmo quarto. “As minhas namoradas são logo avisadas: dormir juntos na mesma cama nem pensar. Tenho o sono muito leve, qualquer som me acorda e depois demoro uma eternidade a voltar a adormecer. Na minha casa tenho duas camas sempre feitas: a minha, grande, mas só para mim, e outra de corpo e meio num outro quarto. Sempre que a minha namorada cá vem, fazemos o que temos a fazer, ela dorme na minha cama e eu sigo para a cama das visitas. Já houve quem tentasse dar-me a volta, não conseguiu e teve de passar à história.”

Maria José Santos, 42, faz parte dos cerca de 18% de portugueses que sofre de insónia, segundo um estudo da Associação Portuguesa do Sono. É casada há 16 anos mas só há 5 começou a ter dificuldade em adormecer. O marido deixou de trabalhar por turnos e as suas noites tornaram-se um martírio… “O primeiro ano que ele deixou de fazer noites foi horrível, mal pregava olho. Ainda por cima foi em outubro, quando o tempo começa a ficar frio. Destapava-se e eu acordava gelada. Depois, para ajudar, ressonava sem parar, ou então, como andava preocupado com as coisas lá no trabalho, tinha dificuldade em adormecer, acendia a luz para ler... e eu sempre a acordar. Já só conseguia dormir profundamente quando eram quase horas de acordar. As minhas olheiras eram gigantescas, andava sempre irritada, sem paciência para nada e ninguém. Como antes ele trabalhava muito à noite, estava habituada a ter uma cama enorme e um quarto silencioso só para mim. Nas férias, como dormíamos até mais tarde, eu compensava as horas perdidas. Primeira solução: arranjámos uma cama maior, mas não foi suficiente. Muitas vezes ia para o sofá e acordava com dores horrendas nas costas. Segunda medida: alugámos uma casa com mais um quarto. Quando as noites ficavam insuportáveis, lá ia eu para o outro quarto. Sentia-me mal por estar a dormir longe dele, e ele, apesar de não dizer nada, amuava. A nossa relação passou por um mau bocado. Terceira, e derradeira, desesperada medida: gravar o ronco para ele perceber que não era eu que era muito sensível. Lá se convenceu a ir procurar ajuda médica. Melhorou, mas agora diz que eu também preciso de lá ir (risos) porque também ressono.”

Na minha ou na tua?

Para Pilar Rente, médica especialista em patologias do sono, a história de Maria José é-lhe muito familiar.  A Clínica do Sono, Lda., em Lisboa, onde exerce e é diretora clínica, tem muitos pacientes com casos semelhantes: mulheres com perturbações de sono provocadas por anos a (não) dormir ao lado de homens com roncopatias e apneia do sono. “Normalmente são as mulheres que trazem os maridos e contam o que se passa. Inclusive já tivemos casos em que os maridos recusam-se a vir – acham que o problema não está neles – e somos nós que lhes telefonamos e tentamos convencê-los a vir à consulta e fazer os exames. Olhe que é uma causa frequente de separação do casal: está descrito em 20% dos casos. Muitas vezes elas fazem ultimatos: ou vais tratar-te ou o casamento acaba.”

Pilar Rente concorda que é muito bom dormir ao lado do marido ou da mulher, mas só se não põe em causa a saúde do outro. “Tenho aqui casais que optaram por viver em quartos separados e até um casal – que eu nem queria acreditar – que comprou o andar ao lado para a mulher ir para lá dormir… em vão, porque a senhora conseguia ainda ouvir o ronco do marido. Era desesperante. E o voltar à normalidade também custa. Quando eles têm de dormir com um aparelho sobre o nariz, que, apesar de ser insonorizado, elas queixam-se que não conseguem abstrair-se do facto de eles terem uma máquina que está ligada à corrente.”

 As perturbações mais frequentes que ali tratam são as insónias, a apneia do sono (ressonar e sonolência diurna excessiva), narcolepsia e síndrome das pernas inquietas. As insónias são a queixa feminina mais frequente e sobretudo numa faixa etária mais jovem (entre os 20 e 40 anos), embora ultimamente tenha havido um crescimento nos homens; enquanto a apneia do sono é um problema tipicamente masculino a partir dos 40 anos.

Sinal vermelho

Historicamente, dormir no mesmo quarto e na mesma cama é algo que acontece há pouco tempo, relembra Neil Stanley, especialista britânico em doenças do sono e professor da Universidade de Surrey, é sobretudo uma consequência da Revolução Industrial, quando as pessoas migram dos campos para as cidades e se amontoam em casas minúsculas. Antes disso, era normal cada membro do casal ter o seu próprio quarto. Na Roma Antiga, a cama de casal não era para dormir, apenas para ter relações sexuais... depois cada um ia para os seus aposentos.

Embora haja estudos que comprovem que dormir a dois faz bem à saúde ­–diminui o stresse e faz-nos sentir mais seguros e protegidos –, há quem defenda que isso só acontece quando ambos dormem bem e não há perturbações do sono, nesses casos, em que se dorme pouco e mal, o impacto na saúde é grande: depressão, doenças cardiovasculares, problemas pulmonares e acidentes de viação. E foi isso mesmo que aconteceu a Alda Pereira, 32 anos. Meses acumulados de noites quase sem dormir fizeram com que um dia, parada num semáforo vermelho, “de frente para um sol reconfortante, os meus olhos fecharam-se e só abriram quando bati no camião atrás de mim e com a sonora buzinadela. Felizmente já tinha levado o meu filho à escola e a estrada não era inclinada. Os estragos foram poucos, mas serviu-me de emenda.”

Guerra dos sexos

Mas se nós nos queixamos mais dos decibéis do ronco, das apneias do sono, também podemos ser as más da fita. De que eles se queixam mais? De nos enrolarmos no edredão, mas sobretudo de se sentirem a cozer em lume brando. Beatriz Serrano, administradora da empresa Pato Rico, que fabrica edredões, colchões e almofadas e fornece várias cadeias de hotéis, revela que é frequente ter clientes a contactarem-na porque dormiram que nem “uns anjinhos no hotel e querem um produto idêntico lá para casa.” Mas há também quem a contacte para arranjar soluções criativas para sonos complicados a dois. “Há uns anos, um amigo veio ter comigo, em desespero. Queixava-se imenso que a mulher era muito friorenta, só queria dormir enrolada em vários edredões e ele sentia-se num forno. Passava as noites sem dormir porque tinha um calor horroroso. ‘Tens de me ajudar’, e eu lá tentei. Primeiro cosemos dois edredões com alturas diferentes para cada um, mas depois optámos por uma capa com alturas diferentes, que permitia ter dois tipos de edredões diferentes, de verão e de inverno, à medida de cada um. Olhe, só lhe digo, estavam à beira da separação e hoje já têm gémeos e dormem lindamente.”

 

fonte:http://activa.sapo.pt/se

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

por adm às 20:56

Terça-feira, 02.12.14

Ex-Spice Girl Mel B namorou quatro anos com uma mulher

Mel B, ex-Spice Girl, revelou em entrevista ao The Guardian que manteve um relacionamento com outra mulher, durante quatro anos. Embora tenha sido casada durante sete anos com um homem, confessou que manteve um relacionamento sério com uma mulher antes disso.

A relação, conta ao jornal, demorou quatro anos.

«Tive um relacionamento de quatro anos com uma mulher mas fui casada e feliz durante sete com um pénis. Definitivamente, nunca fui tímida em querer experimentar coisas novas. Quando queria alguma coisa, tinha-a», revelou, questionando em seguida: «tive uma namorada, e depois?».

fonte:http://diariodigital.sapo.pt/

Autoria e outros dados (tags, etc)

por adm às 21:15

Pág. 2/2




Pesquisar

Pesquisar no Blog