Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Intimidades Reveladas



Terça-feira, 13.05.14

Dor de cabeça feminina diminui o desejo sexual, aponta estudo

Um estudo realizado no Canadá comprovou que a dor de cabeça diminui o desejo sexual da mulher. 

 

 

Encarado pela maioria dos homens como uma desculpa dada pela parceira para evitar a relação sexual, pesquisadores identificaram através da análise com camundongos que as fêmeas quando estavam com dor se distanciavam do macho.

 

 

Já uma pesquisa realizada na Alemanha comprovou que a relação sexual curava a dor de cabeça. O teste foi realizado com cerca de 400 pessoas que tem enxaqueca e foi constatado que ao final do sexo a dor passava.

 

 

Especialistas afirmam que as duas pesquisas são verdadeiras e que o mais importante é não deixar que uma dor de cabeça recorrente venha a afastar o casal.

fonte:http://www.dm.com.br/

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

por adm às 19:54

Terça-feira, 13.05.14

Quantidade de sexo nem sempre é sinônimo de qualidade

Com base em uma pesquisa sobre quantas vezes por semana casais tendem a ter relações sexuais, um urologista nos Estados Unidos decidiu averiguar se elas são de fato satisfatórias. O estudo em questão levantou que a frequência média é de duas a três vezes por semana. Entretanto, quantidade não necessariamente significa qualidade e a conclusão do Dr. Harry Fisch é que grande parte dos homens não dá conta desse ritmo.

 

De acordo com o médico, 45% dos orgasmos masculinos se dão após uma média de dois minutos, enquanto o das mulheres leva mais do que o triplo de tempo, cerca de sete minutos. Ou seja, naturalmente o prazer masculino já dura menos do que o feminino, o que já dificulta a felicidade sexual do casal.

 

Além disso, a frequência mais alta pode deixar o homem cansado, fazendo com que a duração do sexo seja ainda menor. Isso não quer dizer, porém, que os casais estão completamente insatisfeitos, já que às vezes uma "rapidinha" é muito bem vinda. E, claro, cada um se satisfaz com um tipo de sexo, mais longo ou mais curto, de forma que não tem regra para o tempo ideal.

 

Apesar de hoje em dia as relações sexuais estarem na mídia como benéficas e, principalmente, em grande quantidade, Fisch conta que é importante fazer sexo apenas quando se tem vontade. Na divulgação do estudo, o médico ainda fala que não interessa o tempo, mas estar feliz com a relação que se tem. 

 fonte:http://www.cenariomt.com.br/

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

por adm às 19:52

Segunda-feira, 12.05.14

Oito coisas que elas odeiam que ele faça na cama

Elas não querem transar toda hora, demoram mais para chegar lá e são, digamos, mais delicadas durante o sexo. Como já é difícil envolver uma mulher o suficiente pra pintar um clima, a última coisa que um homem quer é ser desagradável e grosseiro na hora H.

Assim como eles reclamam delas na cama — principalmente durante a masturbação e o sexo oral — muitas vezes elas também estão insatisfeitas e nem sabemos. Veja o que as mulheres mais desaprovam e abominam durante a relação sexual.

 

1) Quando o cara quer reproduzir a posição do filme pornô
Elas odeiam quando o cara tenta imitar posições que obviamente ele viu num vídeo pornô. Tudo porque, além de acabar praticamente de ponta cabeça, a mulher ainda têm que ouvir seu comentário: “Você está curtindo, né, amor?”

 

2) Quando pedimos para ela colocar a camisinha
Raciocine: por melhor que ela seja na tarefa, muito dificilmente será melhor do que você — que teve que fazer isso a vida inteira. Se for a primeira vez que você está transando com a garota é melhor evitar fazer esse tipo de pedido. Dá a impressão de que temos preguiça de colocar.

3) Quando ele se empolga e quase espanca a garota
Ainda mais nas primeiras relações sexuais com determinada pessoa, se você ficar dando muito showzinho vai parecer um cara grosseiro e que não se importa com o bem-estar dela. É melhor maneirar nos tapinhas e deixar eles para quando vocês tiverem mais intimidade. A não ser que esteja tudo muito claro que vocês sentem apenas atração física, e que será uma noite e nada mais.

4) Quando a sufocamos durante o sexo oral
Essa é uma coisa que deve ser bem desconfortável — e só elas sabem o quanto. A mulher quer passar longe da sua cama se você for do tipo que a sufoca fazendo movimentos bruscos durante o sexo oral. É de vomitar mesmo!

 

5) Quando eles veem coisas na internet e querem fazer igual
Cubos de gelo podem ser eficientes pra baixar a temperatura de muita gente, porém nem toda mulher acha divertido esfregá-los em suas partes íntimas. Se não dá pra ser original no fetiche, escolha pelo menos um onde ambos poderão se sentir excitados.

6) Quando exploramos tudo ao mesmo tempo
Não precisa cair em cima com tanto desespero porque ela não vai fugir de você. Vá com calma, rapaz! E nem pense em sair enfiando o dedo em tudo quanto é buraco, como se estivesse tocando um instrumento, elas detestam isso. Por mais difícil que seja, tente ser delicado ao tocá-la, mesmo que sua “pegada” seja forte.

 

7) Quando eles tentam o anal sem avisar
Acho que essa é a pior das piores. Não há nada mais grosseiro do que o casal estar lá no ato e de repente o machão escorregar o seu membro no ânus dela. Deve ser uma dor incrível, ainda mais sem ter sido estimulada antes. E obviamente isso jamais deve ser feito de surpresa.

8) Quando você fica em cima durante o 69
Precisa dizer mais alguma coisa ou já dá pra imaginar por que é desconfortável? Se você estiver em cima se mexendo como um cavalo, vai acabar sufocando a coitada lá embaixo. Se for fazer 69, sempre faça a gentileza de deixá-la ficar em cima e controlar a velocidade. Elas preferem e se sentem mais confortáveis.

fonte:https://br.mulher.yahoo.com/b

Autoria e outros dados (tags, etc)

por adm às 20:44

Domingo, 11.05.14

Dez coisas que uma mulher não deve fazer entre quatro paredes

Às vezes nos preparamos e esperamos tanto por um momento a dois, que pecamos pelo exagero. Em outras, somos pegas desprevenidas e passamos por alguma vergonha que poderia muito bem ser evitada. Pensando nessas situações, a Revista Nova listou algumas dicas para ajudar a ala feminina a fugir de possíveis micos entre quatro paredes. Anote aí: 

1. Gritar feito uma atriz pornô 

Acreditamos que os homens desejam na cama tudo aquilo que vemos em filmes eróticos. Mas não precisa exagerar! Gritinhos e gemidos são importantes e estimulantes na hora do sexo, mas berros devem ser evitados! Curta esse momento sem a necessidade de fazê-lo acreditar que você está encenando para que ele saiba que está gostando. 

2. Desestimulá-lo quando ele tentar uma posição nova 

Todos possuem uma posição preferida, que mais agrada e encaixa melhor, porém variar e experimentar coisas novas é sempre muito bom! Experimente tentar outras posições e manobras, sem torcer o nariz e fazer cara feia. Caso a posição sugerida realmente não esteja agradando, peça com jeitinho para voltar a antiga deliciosa posição que estavam antes. Ele vai topar, sem ficar desanimado. 

3. Exigir que todas as luzes estejam apagadas 

Nós mulheres costumamos nos preocupar com detalhes e imperfeições que passam despercebidos por eles. Ele não está nem aí para aquela celulite e estria no bumbum, nem para o pneuzinho que insiste em aparecer. O parceiro com certeza está interessado no prazer de vocês, curta o momento, acenda a luz e desencane! 

4. Mexer no celular 

Hábito que persegue muitos, mexer no celular e verificar as novidades pode atrapalhar até na hora do sexo! Parece loucura, mas existem casos extremos que podem destruir e acabar com o momento. Dica: esqueça do celular e de tudo lá fora! 

5. Em casos de excessivas emoções... Chorar! 

Somos emotivas e com o sentimentos a flor da pele fica muito difícil controlar. O problema é que homens em geral não sabem lidar com excesso de emoção e podem até ficar assustados. Controle e deixe pra chorar quando estiver sozinha. 

Reprodução



6. Delegar a ele a responsabilidade de levar camisinha 

A obrigação de fazer um sexo seguro não é responsabilidade somente do homem. Não importa se a mulher está saindo uma noite pra se divertir, é indispensável se proteger. 

7. Parar o sexo após chegar ao orgasmo e deixá-lo na mão 

Você está curtindo o momento, ele está estimulando exatamente do jeito que você gosta e tudo estava tão bom, que você chega ao orgasmo antes dele. Ótimo! O que não vale é relaxar demais e desistir de continuar a relação, deixando o gato na vontade. 

8. Aparecer com um vibrador antes de avisá-lo 

Brinquedos eróticos são divertidos e sempre bem-vindos, porém alguns deles podem até intimidar o parceiro. Um vibrador com um formato sugestivo pode até assustar, causando um clima chato. Se deseja apimentar a relação com um vibrador, escolha um formato tradicional e avise seu parceiro. 

9. Usar calcinha velha e furada 

Tudo bem ser pega desprevenida de vez em quando, mas uma calcinha rasgada ou furada não deve nem estar na sua gaveta. Uma lingerie arrumadinha é extremamente provocante, mesmo que ele resolva tirá-la rapidinho! 

10. Abusar de perfumes e velas 

Criar o ambiente com velas e aromas é sexy e pode ajudar muito uma noite ainda mais especial. Porém, o excesso pode atrapalhar! Aromas de velas, incensos, perfumes e cremes hidratantes podem resultar em uma mistura nada agradável. Ou até mesmo provocar uma alergia no rapaz. (Fonte: Revista Nova) 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por adm às 22:55

Sábado, 10.05.14

Vale tudo? Saiba qual é a opinião feminina sobre a relação íntima

Estar solteira já não significa estar completamente desacompanhada para as mulheres. Pelo menos é o que uma pesquisa de um site de encontros aponta.

Agora, elas já vêem no encontro casual a posibilidade de realizar alguns de seus desejos e afirmam que, nesta situação, vale tudo.

A visão feminina foi compartilhada por 64,3% das entrevistadas e supera os 59,2% dos homens que acreditam no mesmo.

Além disso, outras 30,8% consideram inovar na relação sexual dependendo do parceiro. Apenas 4,8% disseram não aceitar as novidades de forma alguma. Já os homens, se mostraram mais contidos e 7,1% colocam limites maiores quando o assunto é sexo.

Já os motivos pela busca de um encontro casual foram elegidas por ambos os sexos. São eles: espantar a solidão só por uma noite (36,9%), ter um momento de diversão (25,2%) e aliviar a tensão do dia (19,4%).

Cerca de 80% ainda disse que relacionamentos de apenas uma noite também servem como uma injeção de autoestima para eles.

fonte:http://entretenimento.r7.com/

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

por adm às 22:30

Sábado, 10.05.14

Profissionais com altos salários fazem menos sexo

Profissionais de alto escalão podem ter casas maiores e carros mais chamativos, mas estão perdendo a qualidade na vida amorosa, segundo pesquisa. Apenas 4% das pessoas com salários elevados têm relações sexuais todos os dias, enquanto o número triplica para pessoas de baixa renda. Quando o salário ultrapassa R$ 185 mil por ano, a frequência do sexo cai para apenas uma vez por semana. As informações são do Daily Mail.

Em contraste à vida sexual dos mais bem sucedidos, apenas 17% das pessoas que recebem menos de R$ 55 mil por ano fazem sexo somente uma vez por semana. O grupo intermediário, com salários entre R$ 55 mil e R$ 125 mil, tem relações sexuais várias vezes por semana.

Enquanto os profissionais que ganham mais dinheiro fazem sexo com menos frequência, são mais aventureiros nos lençóis. Cerca de 45% dos que ganham mais de R$ 185 mil anuais já experimentaram relação sexual a três, contra apenas 19% dos que que têm rendimento de R$ 55 mil por ano. Do grupo dos bem sucedidos, 83% já tentaram sexo ao ar livre, contra apenas 66% dos profissionais com salários menores. Os mais ricos também procuram mais brinquedos eróticos para apimentar as relações.

De acordo com levantamento feito pela empresa de brinquedos sexuais Lovehoney, com 1,6 mil pessoas, profissionais que possuem papel dominante no local de trabalho preferem posição mais passiva no quarto.

 

fonter:http://mulher.terra.com.br/v

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

por adm às 22:28

Quinta-feira, 08.05.14

Ronco afeta vida sexual do casal e pode levar ao divórcio

Se  você costuma contar carneirinhos para tentar dormir enquanto o parceiro faz uma sinfonia de ronco, talvez seja melhor abrir o jogo antes que a situação prejudique o relacionamento. Um estudo feito com 500 pessoas pela One Poll mostrou que o ronco prejudica 30% das relações sexuais e 46,4% dos homens sentem vergonha por roncar. Alguns entrevistados relataram fim de relação e divórcio por conta do problema. As informações são do Daily Mail.

Entre os voluntários que participaram da pesquisa, mais de um em cada cinco, de ambos os sexos, disseram que o ronco afeta a vida íntima do casal. Quase um terço, entre 45 e 54 anos, admitiu que o ronco arruinou o sexo no relacionamento. O barulho noturno faz com que 37% dos britânicos que roncam durmam em quartos separados da mulher.

A distância não é vista de forma ruim, de acordo com os voluntários. Para 69,9% deles e 65% delas é “emocionante” essa separação na hora de dormir. Pesquisadores da Universidade da Califórnia descobriram que o sono perturbado afeta diversas áreas da vida das pessoas, entre elas, a capacidade de conduzir um relacionamento. Pessoas que dormem mal relataram mais conflitos no dia a dia com os parceiros, além de experimentarem emoções mais negativas durante as discussões.

Por outro lado, de acordo com pesquisadores, quando um casal dorme separado devido a problemas de ronco, eles reduzem as oportunidades de proximidade física. Para suprir essa carência é preciso que o casal tenha tempo suficiente para atender às necessidades de intimidade.

fonte:http://mulher.terra.com.br/

Autoria e outros dados (tags, etc)

por adm às 21:37

Quarta-feira, 07.05.14

Segunda-feira é o dia mais popular para traições

A segunda-feira é o dia com mais procura por sexo extraconjugal. Essa é a conclusão de uma análise de dados de acesso feita pelo Victoria Milan, site internacional especializado na procura de amantes. De acordo com a rede social, a atividade cresce 14% no primeiro dia útil da semana em comparação com os outros dias. O motivo pode ser a insatisfação com um fim de semana ruim.

 

O site divulgou dados que mostram que os casais apimentam a vida amorosa durante o fim de semana, mas traem no decorrer dela. Eles fizeram uma pesquisa com 3500 homens e mulheres da rede social sobre o por quê disso. Entre os motivos, está a presença de fortes sentimentos de insatisfação ao longo do fim de semana, o que leva um dos elementos a procurar um novo parceiro, especialmente na terça-feira.

Quase metade dos entrevistados (um total de 41%) afirmou que a sexta ou sábado são os dias em que sentem a maior necessidade de se divertirem - mas sem traição: se na segunda-feira a busca por parceiros extraconjugais sobe 14%, sexta e sábado revelaram-se datas vagarosas no que se refere à busca de sexo fora da relação. Assim, trai-se quase duas vezes menos nesses dois dias do que em terças, quartas, quintas e domingos.

Reversão Para corrigir isso, pode ser útil prestar atenção às respostas dos entrevistados aos motivos que levam à traição. Veja:

36%: traem na segunda-feira porque passaram algum aborrecimento no fim de semana com o parceiro;
18%: traem na segunda porque sentiram falta de sexo no fim de semana;
17%: traem no primeiro dia útil da semana porque consideram esse um dia deprimente;
29%: traem nesse dia porque “querem começar a semana com uma boa dose de adrenalina”.

A rede A Victoria Milan é uma rede social anônima, criada em 2010, para ajudar pessoas a buscar relacionamentos secretos. A base de usuários, segundo o site, é de mais de quatro milhões de em todo o mundo, em 33 países.

fonte:http://www.otempo.com.br/i

Autoria e outros dados (tags, etc)

por adm às 13:41

Domingo, 04.05.14

Como salvar seu casamento depois da traição

A infidelidade é uma devastadora de casamentos. Sempre tem aquele amigo que diz: “se você não lembra você não fez”, “se for pra fazer, faça direito e não deixe ela descobrir”, ou coisas do tipo. Esses comentários podem nos levar a pensar que trair não apenas é seguro como também é algo intrínseco ao ser humano. Afinal, por que às vezes não resistimos enganar quem amamos quando temos sempre a escolha de ser solteiro e desimpedido? Para os cientistas tais atitudes só ajudam afundar ainda mais o seu relacionamento. Se você caiu nessa enrascada e não quer admitir para ela o que fez, veja cinco conselhos que a ciência tem para te dar.

 

1) Assuma o que você fez
Manter a infidelidade em segredo é na verdade mais danoso para o casamento do que quando o assunto vem à tona, de acordo com uma pesquisa da Universidade de Washington e da Universidade da Califórnia Los Angeles publicada na revista Couple and Family Psyhcology: Research and Practice.

O estudo analisou a vida de 134 casais e descobriu que em 19 deles pelo menos um dos parceiros já havia traído o outro. Alguns deles não haviam revelado a traição, enquanto outros sim. Durante cinco anos, os pesquisadores examinaram a satisfação e estabilidade marital no relacionamento dos casais, bem como se eles ficaram juntos ou se separaram. A moral da história é que a maior taxa de divórcios (80%) foi entre casais que não confessaram a traição. Por outro lado, entre os casais que admitiram terem traído seus parceiros a taxa de divórcio caiu para 43%. Essa pesquisa dá esperanças para alguns casais depois da infidelidade.

2) Se a coisa estiver muito "feia", procure ajuda
É meio chato dizer isso, mas às vezes é melhor se conformar e resolver o assunto na sala do psicólogo. Quando estamos envolvidos na situação, não conseguimos enxergar um palmo na frente do nariz e, nesses momentos delicados, um mediador só tem a ajudar. Ligar para aquele seu velho amigo para resolver essa pode ser tentador, porém é melhor dar preferência para uma pessoa de fora da sua vida social.O mediador não vai decidir nada por vocês, apenas conduzi-los para achar uma solução, e não se perder em discussões que saem do foco do problema real. Às vezes um profissional pode facilitar o entendimento entre vocês — é triste, mas é a vida meu amigo.

3) Esteja aberto a mudanças
Em geral, o passo mais importante na superação de uma traição é o casal estar aberto a mudar e corrigir os erros cometidos, diz Wendy Walsh, Ph.D em relacionamento e autora do livro, “The 30-Day Love Detox”. Isso também significa assumir os próprios erros. A mulher traída dificilmente voltará a confiar em você de novo se você não mudar. Não tem segredo, imagine que vocês são um time e precisam agir juntos para conseguir o que querem.

4) Entenda o motivo da traição
Para conseguir o que queremos, precisamos antes saber o que queremos. Reflita sobre o que aconteceu, pois é muito provável que você esteja infeliz em seu relacionamento, ou de alguma forma insatisfeito, o que te levou a sair e se distrair com outra pessoa. Isso não vai servir como desculpa, porém, vai te ajudar a definir se vale a pena continuar na relação e consultar um psicólogo, ou terminar.

5) Bola pra frente
Walsh afirma que é absolutamente possível que um casal supere a infidelidade. “Ter um affair com alguém é uma grande ruptura no relacionamento. Porém, se conseguir superar isso e consertar os erros, você pode ficar mais forte do que nunca”, garante ele. Claro que é muito mais fácil falar do que fazer, porém basta saber que é possível, e então colocamos em prática.

 

fonte:https://br.mulher.yahoo.com

Autoria e outros dados (tags, etc)

por adm às 22:27

Sábado, 03.05.14

Sexo selvagem e posições exageradas pedem preparo físico; saiba como agir

Falar sobre sexo ainda é desconfortável para muitas pessoas, mas ele faz parte do nosso dia a dia e é preciso discutir abertamente o assunto. Um dos temas mais evitados são as posições usadas para praticá-lo. Quando o clima esquenta, tem gente que se empolga e acaba forçando o corpo a posições que podem prejudicar a coluna, causar dores musculares, torcicolos, hematomas e torções. Portanto, se você pretende aderir às posições do Kama Sutra ou ao chamado sexo selvagem, melhor preparar o seu corpo primeiro. 

Nos últimos anos, muito tem sido discutido sobre os benefícios proporcionados pela prática de sexo. Mas apesar de estar associado ao prazer e ao bem-estar, o ato sexual também pode ser sinônimo de sofrimento, pois pode agravar lesões crônicas em pessoas que já possuem problemas na coluna vertebral, assim como gerar novas lesões. O alerta é do quiropraxista Jason Gilbert, autor do livro "O Segredo da Coluna Saudável". O assunto é tão sério, que Gilbert reservou um capítulo exclusivamente para falar sobre as posições que podem fazer mal para a coluna. 

Segundo o autor, os danos causados pelos movimentos repetitivos, rápidos, bruscos e intensos realizados durante o ato sexual podem ser mascarados completamente devido aos efeitos das endorfinas, que circulam nesse momento em nosso corpo. "Elas possuem um potente efeito analgésico, que encobre as dores e as crises incapacitantes. Quando passa a euforia e ação das endorfinas surgem as dores e as crises", esclarece Gilbert. 

Esta já é uma boa razão para você preparar seu corpo para o sexo, da mesma forma que o prepararia para qualquer outro exercício ou atividade física. Pessoas com melhor forma e elasticidade têm menor risco de lesão. Exercícios e alongamentos feitos regularmente protegem a sua coluna (e o corpo todo!) durante a relação sexual. 

Reprodução



Gilbert recomenda que as pessoas escutem seu corpo nesse momento e, caso apareça alguma dor, pare imediatamente e troque de posição. "Lembre-se de que a dor indica que algo não está bem, então seria imprudente e irresponsável continuar. Quando trocar de posição e desaparecer a dor, ainda assim é importante 'tomar fôlego' e parar um pouco para soltar e alongar". 

O especialista alerta ainda que muitas pessoas, quando não respeitam esses sinais e não interrompem o ato, chegam a ficar com a coluna 'travada' e muitas acabam precisando até mesmo de atendimento médico! 

Para quem ainda não leu o livro, o autor lista algumas dicas de como sentir prazer sem prejudicar o corpo. 

 Colchões inapropriados podem causar ou piorar os problemas da coluna. Colchões de espuma de densidade baixa ou colchões de água não fornecem o apoio adequado para distribuir a carga entre as articulações durante o sexo, pois a superfície é instável. 

 Algumas posições agradarão mais a sua coluna do que outras, caso você esteja com dor ou se recuperando de alguma lesão. Geralmente, se a pessoa lesionada está por baixo e o corpo consequentemente não move muito, o risco de agravar o problema é menor. Use bom senso na escolha de posições, lembrando que aquelas que promovem extensão ou flexão exagerada por muito tempo são mais prejudiciais para a coluna. 

 Se por algum motivo, mesmo seguindo essas recomendações, você sentir dores depois da relação, faça compressas com gelo por 20 minutos no local. Isso ajuda a evitar inflamações.

 

fonte:http://www.bonde.com.br/

Autoria e outros dados (tags, etc)

por adm às 12:01




Pesquisar

Pesquisar no Blog